quinta-feira, 10 de julho de 2008

Psh!

Silêncio: momento em qual a emissão de sons é zero, nada, niente, nothing. Existem muitos tipos de silêncios. Situações em que ele é exigido, situações onde ele é usado para uma singela homenagem, silêncios constrangedores. Mas em todas estas situação o silêncio existe apenas por convenção ou porque realmente ninguém quer dizer nada, o que faz de um breve momento sem som o mais longo do mundo, quando ninguém quer se manifestar sabe Deus porque.

Todavia, existe um silêncio tão raro quanto um amor de verdade. O verdadeiro silêncio existe tão periodicamente em tão raros momento que é até difícil descrevê-lo. Apenas o presenciei uma vez acredito em toda a minha vida. Ele vem de um modo calmo e imperceptível e de repente ele toma conta da situação, e os sons parecem não existirem mais. Tudo é tomado pelo vácuo do momento.

Na verdade ele nem é tão ruim, é uma sensação única pois não é constrangedora, é apenas perplexidade, o suficiente para tomar conta de todos os sons ambientes. Este são raros e quando acontecem não são por acaso, deve-se ter cuidado para não quebrá-lo com algum comentário sem necessidade, pois ele não pede nada, apenas que você preste atenção na situação.

O silencio verdadeiro acontece com raridade e com motivos reais, não o confunda com o pior silêncio de todos que é quando alguém decide não falar nada podendo dizer tudo.

Um comentário:

Ana Carolina disse...

O que sempre me impressiona, é a capacidade que o silêncio tem às vezes, de ser ensurdecedor...

bjos