domingo, 28 de novembro de 2010

Concha

Branca dos dias de Sol,
Que castiga as tardes,
Que toca o alto da cabeça, porém
Menos quente que as saudades.

Das mãos macias,
Que arranham sem ferir,
Que fazem do amor
A mais dolorosa forma de sentir.

Só quero o silêncio,
As jovens manhãs à nascer,
E o amanhã confirmado.

O contraste das peles,
O beijo infinito,
É tudo o que quero.

3 comentários:

Rodrigo Passos disse...

lindos versos!

Rasguyasminhas disse...

ta ótchemo, te adicionei

Vanessa Souza Moraes disse...

Crianças acham que amor é para fazer a gente feliz.