segunda-feira, 28 de junho de 2010

Esquinas

Ainda encontro, mesmo sem conhecer,
Aquela que me faz perder o passo
Trocar o degrau,
Olhar para trás.

Ainda me apaixono nos semáforos,
Nos bondes, nas vias.

Confesso ser admirador de mãos de mulheres,
Com traço fortes, sem maciez juvenil,
Sem descaso com as unhas.

Nada me doí mais que mãos calejadas por unhas roídas.

Fatalmente ainda sou atraído com total exorcismo de posse sexual.

Um comentário:

Carolina Matos disse...

e lá eu te encontro de passagem...