quarta-feira, 30 de junho de 2010

Devaneios Urbanos

Entendo que cada vez mais, com efeito, a distância entre o que somos e o que um dia pretendíamos ser é maior, então vejo que o egoísmo chega a ser uma questão de amor próprio. E acabo em conclusão fatídica, que se há diferença entre a situação do amante para o amado, amar mais o sentimento que o objeto é apenas uma questão de perspectiva.

Eu gosto de me declarar, de viver um amor eterno. Ainda que os personagens mudem, o amor é estático. Gosto de me declarar, gosta de dar amor, de fazer a pessoa se sentir amada e sem brincar com os seus sentimentos, pois com efeito, digo a verdade, gosto de elogiar e todas as belezas merecem ser amadas, egos precisam de massageados e é fato, que todos têm belezas a serem elogiadas.

Quando os amores acabam, as paixões cessam, o amor não vira ódio, nem raiva, porque é impossível esta mutação de amor em ódio, o que acontece é o desamor e enquanto o amor não vira desamor, as paixões podem ser reconstruídas, vividas.

No momento em que não temos o amor da nossa vida, ele é paixão incessante, luz intermitente, vontade de ser feliz, é objeto razão e justificativa da tristeza e suposta resposta para uma vida melhor. Não existem falhas, contudo, ao ato da conquista se segue a humanização do ser perfeito e amado, defeitos, erros, desencontros. Os amores por maiores, salvadores e eternos, sempre serão amores terrestres, humanos e defeituosos.

7 comentários:

Carolina Matos disse...

"amar mais o sentimento que o objeto é apenas uma questão de perspectiva."

- disse...

e a sensibilidade das suas palavras me encantam :3

tainá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
evandro mezadri disse...

Gostei muito de seus textos, suas poesias. Elas são muito fortes, contundentes.
Grande abraço e sucesso!

Ju Fuzetto disse...

Leve e ao mesmo tempo intenso!!

parabéns, beijo

Amanda Arrais disse...

"...então vejo que o egoísmo chega a ser uma questão de amor próprio."


Sempre pensei isso e nunca soube como expressar. Tu soubeste perfeitamente.

=*

marzzia disse...

"amar mais o sentimento que o objeto é apenas uma questão de perspectiva." praticamente, valeu o texto todo! lindo, luizinho! :)