segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Enluará

Por mais que você diga jamais,
Eu sempre torço por um talvez,
Na eterna esperança do será, 
Para que se conclua o nós.

Apesar de tanto lutar,
De tanto perder,
Eu sei que se decidir por isso,
Eu vou aceitar e ser feliz.

O amor, este sim é burro.
Mas ainda prefiro a ignorância,
A viver uma grande solidão.

O amor, este sim é burro.
Ainda acredita no talvez,
Mesmo sabendo que é jamais.

Um comentário:

evandro mezadri disse...

Muito legal sua poesia, gostei do estilo.
Grande abraço e sucesso!